Calor, depressão e ansiedade são sintomas frequentes nas mulheres durante a menopausa

saúde

A menopausa faz parte de um processo natural na vida da mulher, relacionado à transição entre o período fértil e infértil. Nela, há uma diminuição da produção hormonal, o que pode afetar a saúde em diversas frentes.
Um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Climatério (Sobrac) revelou que, além do aumento do calor, manifestações como depressão, ansiedade, tristeza, inquietação e mudança de humor também vêm no pacote.

Leia também: Viúvo de Walewska cobra aluguel dos pais da jogadora por parte do apartamento dela

A pesquisa também indicou que a maioria das mulheres brasileiras não realiza o tratamento de reposição hormonal, que pode ajudar a reduzir esses sintomas.

Sintomas:

• Quatro a cada dez relataram a existência de sintomas como depressão, ansiedade e insônia;
• 22,3% informaram receber recomendações médicas adequadas para realizar o tratamento hormonal;
• 87,9% relataram apresentar, pelo menos, um sintoma, sendo 59% com ondas de calor ou fogachos, que tiveram início aos 47 anos;
• 52,1% disseram que receberam prescrição médica para a recomposição; Em média, as mulheres fazem tratamento de recomposição durante menos de um ano; para as de classe socioeconômica mais alta, a duração constatada foi maior.

“A menopausa é o evento que marca a morte dos ovários, que são os órgãos reprodutores. Esse evento é um ponto. Mas, as alterações hormonais começam ate 7 anos antes deste momento”, relata doutora Julia.

Receba nossas notícias em tempo real no whatsapp

Além disso, Júlia explica que as ondas de calor acontecem mais no tronco superior, do peito até a cabeça, e ocorrem durante uns 15 minutos e mais à noite. Mas, é importante dizer que nem sempre a mulher apresenta isso. Esse calor vem com a queda dos hormônios. Então, quanto maior a queda, maior a chance de senti-lo.

“Após a menopausa, o risco de desenvolvimento de diversas doenças pode aumentar, entre elas diabetes, doença cardiovascular, câncer e até início de demência. É importante que a mulher fique de olho na glicemia, pois além de tudo, pode ter aumento no peso. E a visita ao médico especialista continua sendo primordial.”, finaliza a médica.

Siga a gente no Google News para ficar por dentro das últimas notícias!

 

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1896

Deixe um comentário