Avanço do mar destrói estruturas e ameaça praias paradisíacas no Ceará

TAG Notícias

O município de Icapuí, no Ceará, esconde joias naturais longe do agito de destinos turísticos populares. Com águas cristalinas, mar calmo e praias menos movimentadas, tornou-se um refúgio tranquilo, afastado das badalações de Canoa Quebrada e Jericoacoara. No entanto, esse paraíso está sob ameaça devido à erosão litorânea.

O Cenário em Icapuí: Uma Luta contra o Avanço do Mar

A década passada testemunhou episódios intensos de destruição causados pela força do mar nas 14 praias de Icapuí, sendo que pelo menos 6 enfrentam estágios avançados de erosão. Moradores e autoridades locais uniram esforços para conter os danos, mas casas foram danificadas, pescadores impedidos de zarpar, e até mesmo uma escola teve que ser demolida.

Leia também: Aeroporto de Congonhas receberá R$ 2 bilhões em melhorias

A Praia da Peroba, em particular, sofreu recentemente com os estragos de uma forte ressaca. Passarelas foram destruídas, dunas desmoronaram, e o mar avançou sobre construções, expondo a fragilidade da região. O presidente da Associação de Moradores da Praia da Peroba, Israel Santos, relata os prejuízos significativos que a comunidade enfrentou.

Ressaca do mar no início de janeiro na Praia da Peroba, em Icapuí, destruiu estruturas de contenção — Foto: Associação de Moradores da Peroba
Ressaca do mar no início de janeiro na Praia da Peroba, em Icapuí, destruiu estruturas de contenção — Foto: Associação de Moradores da Peroba

Impacto na Economia e na Comunidade Local

Além dos prejuízos materiais, o avanço do mar afeta diretamente a economia local. Turistas são desencorajados, casas de aluguel são canceladas, e a pesca, vital para a região, torna-se mais desafiadora. Pescadores, como Francisco Pereira, precisam alterar rotas para buscar sustento, enquanto outros enfrentam a preocupação de como transportar doentes em marés altas.

A Praia da Peroba, um dos destinos mais procurados, é palco de investimentos da prefeitura para conter a erosão. A batalha contra a natureza é evidente, e as consequências vão além dos danos visíveis: erosão das dunas, destruição de moradias, e dificuldades na pesca.

Fatores Agravantes: Natureza e Ação Humana

O encurtamento da faixa de areia, essencial para a estabilidade costeira, é agravado por fatores naturais e pela ação humana. A falta de grandes rios que tragam sedimentos para as praias, somada à construção de reservatórios que retêm água e areia, contribui para a erosão. As dunas e falésias, que poderiam fornecer areia, são ocupadas por construções, reduzindo a transferência de sedimentos.

Renda extra: Aprenda as técnicas inovadoras e eficazes para o Design de Sobrancelhas

A ação do homem, aliada a eventos climáticos extremos, intensifica os desafios. A elevação do nível dos oceanos e o aumento de eventos extremos, como ressacas e tempestades, aceleram os processos erosivos. Eduardo Lacerda, geógrafo, destaca a importância de equilibrar a ocupação e preservação para evitar impactos diretos nas construções.

Preservando o Tesouro Natural: Uma Chamada para Ação

Icapuí é uma pérola escondida no litoral cearense, mas enfrenta uma ameaça que pode obscurecer seu brilho natural. É crucial conscientizar e mobilizar esforços para preservar esse tesouro. A prefeitura já investiu milhões em obras de contenção, mas o desafio persiste.

Siga a gente no Google News

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1727

Deixe um comentário