Aluno de academia atingido por aparelho tem 1% de chance de voltar a andar

TAG Notícias

Regilaneo da Silva Inácio, motorista de aplicativo de 42 anos, que foi atingido por um equipamento de musculação em uma academia em Juazeiro do Norte (CE) na última sexta-feira (4), passou por uma cirurgia de quatro horas neste sábado (5) e está internado com quadro estável.

O acidente ocorreu quando ele foi atingido por uma máquina conhecida como “hack squat”, utilizada para fazer agachamento convencional. A gravidade da lesão na coluna foi considerada crítica pelos médicos.

Veja o vídeo:

Procedimento cirúrgico e realinhamento ósseo

A cirurgia consistiu na colocação de pinos e parafusos para redução da fratura, com o objetivo de realinhar os ossos e descomprimir a medula.

Chances de recuperação

O Hospital Santo Antônio, de Barbalha, divulgou uma nota informando que a cirurgia foi realizada com sucesso, mas ressaltou que o paciente tem menos de 1% de chance de voltar a andar devido à gravidade da lesão na coluna.

Leia também: Assistente de piloto fica pendurado em balão e despenca do alto

Complexidade do caso e lesão neurológica

O médico neurocirurgião José Correia Junior, responsável pela cirurgia, explicou a complexidade do caso, classificando a lesão como gravíssima, a mais severa na região toracolombar. A continuidade óssea na junção toracolombar foi perdida, resultando em danos significativos aos neurônios.

Academia se pronuncia

A academia 220 FIT, onde o acidente ocorreu, emitiu uma nota afirmando que a situação foi acidental e que o aparelho estava em perfeito estado de funcionamento, tendo sido adquirido há menos de 60 dias.

Esperança e dificuldades

Antes da cirurgia, a irmã de Regilaneo, Maria das Dores da Silva Inácio, afirmou que ele estava estável e consciente, porém sem sentir as pernas. A máquina estava com uma carga de 150 kg. Ela mencionou que a família aguarda um milagre e que o paciente ainda sente os braços.

Perspectivas de recuperação

O neurocirurgião explicou que as chances de Regilaneo voltar a andar dependem do grau da lesão e do nível de retorno das funções prévias. Porém, lamentavelmente, devido à gravidade da lesão neurológica, a chance estatística de recuperação de funções motoras e sensitivas é inferior a 1%.

Sarah Oliveira
Sarah Oliveira

Uma amante das palavras em uma jornada incessante de descoberta. Originária de São Paulo, encontro nas nuances da linguagem minha paixão. Com formação em Comunicação, tenho o prazer de guiar você pelos intrincados caminhos das notícias, oferecendo uma perspectiva única sobre o que acontece no Brasil e no mundo.

Artigos: 1727